25 Setembro, 2017

Rui Moreira incentivou a instalação das indústrias criativas e culturais em Campanhã. Cumpriu.

Campanhã é o verdadeiro território das oportunidades e os agentes culturais da cidade estão atentos a esta evidência. Aos dois grandes projectos municipais que são irreversíveis, o Terminal Intermodal e o Matadouro, sobre os quais a acção de Rui Moreira foi determinante, junta-se um terceiro. O acervo municipal discográfico da autarquia terá espaço num antigo armazém, próximo da Estação, local que também vai ser transformado em estúdio de música.

Ler Artigo Completo

Partilhar

As indústrias culturais e criativas têm, paulatinamente, chegado à zona oriental da cidade como o apoio de Rui Moreira. O mais recente exemplo é a Plataforma de Campanhã, um projecto musical que se vai instalar num armazém, abandonado há mais de dez anos, a cerca de 200 metros da estação de comboios. Nova casa para os estúdios da produtora portuense Arda, o espaço ocupa uma área de cerca de 700 metros quadrados e vai albergar ainda a Fonoteca Municipal.

O acervo, que reúne cerca de 40 mil discos de vinil, corresponde a espólio da Rádio Renascença e da RDP Norte que nunca tinha sido exposto de forma organizada e catalogada, até à decisão tomada por Rui Moreira. Agora, através de uma parceria com investidores privados, que assumem toda a reabilitação do antigo armazém, a autarquia terá finalmente um espaço onde poderá apresentar o acervo junto do público.

“ESTAMOS A APOSTAR EM NOVAS CENTRALIDADES PARA QUE O PORTO TODO SEJA UMA SÓ CENTRALIDADE”

Para Rui Moreira, “o mercado está a corresponder e a aportar actividades empreendedoras e de cultura” para Campanhã. Facilitar este processo através de “uma política determinada de reduções fiscais” e estendê-lo a outros domínios, como o apoio municipal ao nível do saneamento e da iluminação, tem sido o caminho adoptado.

O equilíbrio do tabuleiro da cidade do Porto passa também por Campanhã, acrescentou Rui Moreira. “Já não há recuos” para a construção do Terminal Intermodal (obra que avança no início de 2018, após 14 anos de interregno), bem como para o Matadouro (o projecto envolve a criação de espaços culturais, sociais e empresariais). A Foneteca Municipal, que se vai agregar à Plataforma de Campanhã, é mais uma prova da nova centralidade que freguesia mais oriental da cidade está a consolidar.

Proprietário e investidor foram consentâneos em dizer não há dúvidas de que “há interesse na reconversão desta zona”. Admitiu também o investidor da Arda que, a boa rede de transportes públicos e o valor das rendas mais acessíveis do que no centro da cidade, foram preponderantes para a alteração de morada dos estúdios de música.

Mesmo ao lado, um outro armazém em actividade há dois anos. Aí, o negócio é outro, e corresponde ao do restauro de peças de mobiliário e de arte. Num futuro próximo, o objectivo é abrir um showroom ao público.

A acção de rua terminou como acabou: caminhando com boa disposição pelas ruas de Campanhã.

 

 

 

 

 

 

 

Esteja a par das novidades
do nosso Porto nas redes

O meu Partido
é o Porto

×

Eu Quero Ir

×

Quer ser convidado para as acções de campanha de Rui Moreira?
Faça parte do grupo de cidadãos independentes nesta caminhada até dia 1 de Outubro.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Ajudar

×

Quer ser voluntário na campanha de Rui Moreira?
Indique-nos a sua disponibilidade e será contactado.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Doar

×

Quer participar financeiramente para esta campanha?
Envie-nos os seus dados e entraremos em contacto consigo para lhe explicarmos como pode fazê-lo.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Falar

×

Dê a cara pelo seu Porto. Grave um vídeo com a sua opinião (pode ser com o seu telemóvel), carregue-o no Youtube ou Vimeo e envie-nos o link, depois de nos deixar os seus dados. Ao fazê-lo, autoriza a candidatura a usar partes ou o todo para publicação no site e redes sociais. Para falar com o Porto é por aqui.

Preencha os seus dados em baixo