5 Setembro, 2017

“Na Educação, não queremos ser meros gestores hoteleiros. Queremos intervir na área curricular”, diz Fernando Paulo

Ontem à noite, durante o jantar que a candidatura independente promoveu junto de professores e educadores, Fernando Paulo, sétimo da lista à vereação de Rui Moreira, comentou com os participantes a necessidade da descentralização de competências para o município na área educativa. A flexibilização curricular é um dos aspectos mais relevantes.

Ler Artigo Completo

Partilhar

Se através da escola pretendemos combater a exclusão social, “a discriminação tem que ser positiva”, considera Fernando Paulo. Com melhor capacidade para intervir neste domínio estão os municípios, acredita, que conhecem todas as idiossincrasias dos territórios e estão aptos para aplicar medidas diferenciadoras. Por isso, o candidato da lista de Rui Moreira, que já na semana anterior apresentou as linhas programáticas do movimento independente para a Educação nas Conversas à Porto, defende que o governo tem que ser mais audaz e confiar às autarquias locais esta tarefa. “Com o respectivo envelope financeiro”, acrescentou.

Acreditando que, caso seja reeleito presidente da Câmara, Rui Moreira e a sua equipa vão conseguir que o sector educativo seja também uma referência para o município, à semelhança do que já acontece com a cultura, Fernando Paulo reforçou que, para cumprir esse desígnio, o Nosso Partido é o Porto sabe bem como agir. “Neste mandato tratámos bem a Educação. Disponibilizámos os meios e as ferramentas. Agora, podemos ir mais longe. A Câmara Municipal deve constituir-se como parceira igual. Temos que ser intervenientes, mais participativos e gerar oportunidades”.

Com o know-how e a técnica, Fernando Paulo acredita que o Plano de Desenvolvimento Educativo Municipal, um plano de médio e longo prazo que já apresentou nas Conversas à Porto, pode fazer a diferença, articulando políticas transversais, que envolvam as áreas da coesão social e da cultura. E, sobretudo, agindo “com recursos especializados”.

PARTICIPANTES DO ENCONTRO COMENTAM O PORTO E A EDUCAÇÃO

Isabel Barros, membro da direcção do balleteatro, fez questão de referir que foi no Porto que “nasceram as primeiras escolas de teatro e de dança”, indicador da importância do ensino artístico na cidade. Aliás, encontra nos últimos anos um interesse político pela cultura, que considerava estar adormecido. Por isso, agradeceu a Rui Moreira o facto de “viver numa cidade que entusiasma e de onde não dá vontade de sair”.

Joe Santos, co-fundador da associação Vencer Autismo, apresentou o projecto piloto da organização. “Retirar o estigma negativo do autismo e dar as ferramentas para que todos saibam lidar e ajudar as crianças com autismo” é a missão da associação. Nos últimos anos, os fundadores têm realizado palestras gratuitas por todo o país, tendo já contribuído para a formação de mais de 15 mil pessoas. Como defendeu ontem à noite Joe Santos, “o mais importante na educação é acreditarmos nela”.

Esteja a par das novidades
do nosso Porto nas redes

O meu Partido
é o Porto

×

Eu Quero Ir

×

Quer ser convidado para as acções de campanha de Rui Moreira?
Faça parte do grupo de cidadãos independentes nesta caminhada até dia 1 de Outubro.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Ajudar

×

Quer ser voluntário na campanha de Rui Moreira?
Indique-nos a sua disponibilidade e será contactado.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Doar

×

Quer participar financeiramente para esta campanha?
Envie-nos os seus dados e entraremos em contacto consigo para lhe explicarmos como pode fazê-lo.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Falar

×

Dê a cara pelo seu Porto. Grave um vídeo com a sua opinião (pode ser com o seu telemóvel), carregue-o no Youtube ou Vimeo e envie-nos o link, depois de nos deixar os seus dados. Ao fazê-lo, autoriza a candidatura a usar partes ou o todo para publicação no site e redes sociais. Para falar com o Porto é por aqui.

Preencha os seus dados em baixo