21 Janeiro, 2018

Aeroporto, Ave e relações com Galiza em grande entrevista de Rui Moreira ao Voz de Galicia

O presidente da Câmara do Porto deu uma entrevista ao jornal galego Voz de Galicia. As relações com a região e a actual dinâmica económica e turística da cidade estiveram em destaque.

Ler Artigo Completo

Partilhar

Rui Moreira defendeu na entrevista, que está integrada num trabalho mais vasto sobre Portugal, que tal como o Porto tem que olhar para a estação do AVE (comboio espanhol de alta-velocidade) de Vigo como sendo sua, também o aeroporto do Porto deve ser olhado por Vigo como o aeroporto da Região.

Sobre a genrificação, o presidente da Câmara lembrou que o Porto sempre foi uma cidade gentrificada e que o pior ocorreu nos anos 80 e 90, quando perdeu 150 mil habitantes. O Voz de Galicia vende mais de 100 mil exemplares em papel diariamente e tem mais de 60 milhões de visitas online, superando em vendas qualquer jornal diário português.

A entrevista pode ser lida online assim como todo o trabalho sobre Portugal.

Veja aqui em vídeo:

 

Esteja a par das novidades
do nosso Porto nas redes

O meu Partido
é o Porto

×

Eu Quero Ir

×

Quer ser convidado para as acções de campanha de Rui Moreira?
Faça parte do grupo de cidadãos independentes nesta caminhada até dia 1 de Outubro.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Ajudar

×

Quer ser voluntário na campanha de Rui Moreira?
Indique-nos a sua disponibilidade e será contactado.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Doar

×

Quer participar financeiramente para esta campanha?
Envie-nos os seus dados e entraremos em contacto consigo para lhe explicarmos como pode fazê-lo.

Preencha os seus dados em baixo

Eu Quero Falar

×

Dê a cara pelo seu Porto. Grave um vídeo com a sua opinião (pode ser com o seu telemóvel), carregue-o no Youtube ou Vimeo e envie-nos o link, depois de nos deixar os seus dados. Ao fazê-lo, autoriza a candidatura a usar partes ou o todo para publicação no site e redes sociais. Para falar com o Porto é por aqui.

Preencha os seus dados em baixo